Depoimento - Patricia Spegiorin | Quase Mamãe
set 21 2016
Siglas de Tentante

Bom Dia!

Tudo bem com vocês? 

Sabe quando você lê um Depoimento que te motiva e que te da ainda mais fé, que faz você pensar o porque você duvida dos planos de Deus, se ele é maravilhoso, sim esse depoimento,é assim!

A Patrícia lutou por quase 9 anos, e a sua história é linda demais, e hoje ela espera a sua doce Baby Martina 😉 

Um beijo,

Roberta

(Quase Mamãe)


Você não é derrotado quando perde. Você é derrotado quando desiste.

Com essa frase eu inicio a minha história de luta para engravidar, para ser mãe. Casei aos 29 anos e apenas aos 30 resolvi que era a hora de ter um bebê. Naquele tempo eu achava que era pá-bum, seria rápido, mas essas tentativas duraram 01 ano e então eu já com 31 anos procurei um médico para entender o que havia.

Logo de cara e depois de alguns exames e tentativas (03 coitos) programados ele suspeitou que eu tivesse Endometriose, o que mais tarde se confirmou através de uma videolaparoscopia diagnóstica que eu fiz com outro médico.

De fato eu tinha Endometriose Peritoneal e aderências na trompa esquerda. Fiquei um ano tratando a Endometriose depois da cirurgia, tomando várias injeções de Zoladex o que me acarretou uma menopausa provocada. Depois de quase um ano, quando voltei a menstruar tentei engravidar naturalmente por alguns meses e como não consegui resolvemos partir para a inseminação artificial.

Fizemos 03 tentativas de IA, sem sucesso em nenhuma. Nessa altura eu já estava com 34 para 35 anos e depois de muitos chás de ervas, simpatias, remedinhos homeopáticos, cirurgia espiritual, minha última opção era a Fertilização in Vitro.

Na época eu era espírita e procurei o médium dirigente do Centro Espírita Kardecista que eu frequentava para me aconselhar sobre o que fazer e ele foi categórico; se eu não tinha engravidado até aquele momento com tudo o que eu já tinha feito, era porque não era propósito de Deus que eu fosse mãe ainda, provavelmente eu tinha débitos da vida passada para ter essa prova agora, ou seja, eu não tinha o merecimento necessário e que se lá na frente Deus entendesse que sim Ele me daria.

Assim ele me aconselhou a não fazer a FIV. Infelizmente eu adotei aquilo como uma verdade na minha vida e a partir disso sem que eu percebesse me tornei amarga, não ligava para crianças, evitava o assunto e declarava a todo tempo que eu não tinha nascido para ser mãe, eu havia desistido de tentar através de tratamentos, me tornei apática.

Meu casamento que já não era uma maravilha piorou… principalmente pela revolta, vergonha, sentimento de incapacidade… e o tempo passou… Quando então eu já estava com 36 anos depois de uma crise no meu trabalho eu finalmente conheci Jesus, e isso foi maravilhoso, a melhor coisa que me aconteceu. Conheci a verdade e ela me libertou.

Passei a mergulhar na palavra de Deus e a entender que eu não precisava mais de chás, simpatias, cirurgias espirituais, passes, benzedeiras, santos ou de outra coisa a não ser Jesus na minha vida, pois ele era e ainda é o caminho, a verdade e a vida. Passei a acreditar e ter fé que a vontade de Deus para minha vida é boa, perfeita e agradável e que Ele dá um lar à estéril e dela faz uma alegre e feliz mãe de filhos.

Com essa verdade que libertou meu espírito da mentira, e após 02 anos de meditação nas promessas escritas na bíblia parti para a Fertilização in Vitro, fizemos a primeira, resultado negativo. Era difícil acreditar, eu não me conformava principalmente porque o dinheiro tinha sido tudo gasto naquela primeira tentativa. Não tínhamos mais recursos, a não ser vender o que tínhamos.

Porém ao sair da clínica sem uma explicação convincente do médico do porque tinha dado errado e com lágrimas nos olhos eu afirmei para mim mesma: Eu não vou desistir, Deus irá prover os recursos, a forma, o jeito, sei lá. Dias depois retomei a luta, pesquisei decisões favoráveis ao meu tratamento e vi que era possível o plano de saúde arcar com este tipo de tratamento desde que acionado judicialmente.

Mais do que depressa reuni todo o material necessário, redigi em causa própria minha ação e despachei direto com o juiz, expliquei a ele a urgência, eu já tinha 38 anos, minha reserva ovariana já estava baixa, eu tinha pouco tempo. Eis que o juiz concedeu a decisão liminar mais bonita que já li na minha vida, sim, a partir da decisão o plano de saúde tinha 30 dias para cumprir a decisão sob pena de multa de R$ 100.000,00.

E lá fomos nós para a segunda tentativa da Fertilização in Vitro, dessa vez muito mais aliviada financeiramente e confiante pois até as medicações necessárias o plano forneceu em tempo. Mudamos o protocolo dessa vez, congelamos os embriões e decidimos transferir em outro ciclo. No entanto, e apesar de todos os esforços nossos e da equipe médica, tivemos o segundo resultado negativo.

Dessa vez confesso que eu caí, não entendia o que Deus queria de mim, pois Ele tinha dado o tratamento e todas as condições, eu me questionava será que é falta de fé? E pensava que tinha algo de muito errado comigo, me achava uma vergonha, só pensava em mudar da minha cidade, fugir, desaparecer. Mas Deus como é fiel e nunca desampara seus filhos ele enviou os anjos dele para nos apoiar, nos dar um ombro amigo e para fortalecermos a nossa fé.

De fato, fui muito amparada pelo meu pastor e por sua esposa, e é claro, pelas irmãs, amigas mais próximas e alguns familiares que se dispuseram a orar por mim, principalmente para que eu não desistisse. Consegui aos poucos retomar a luta mas dessa vez com uma nova postura, questionei o médico e exigi uma mudança de protocolo. Ele atendeu e antes de partir para a terceira vez fizemos um exame chamado ERA a fim de descobrir falhas na implantação do embrião.

Do mesmo modo ao produzirmos os embriões enviamos 04 para a biópsia genética chamada NGS, e desse lote tivemos apenas 01 normal e em condições de ser implantado. Fizemos tudo o que tinha de ser feito dessa vez e andamos eu e o marido pela fé, afinal, nós só precisávamos de 01 para Deus fazer o milagre.

Voltei pra casa e deveria esperar os 12 dias após o procedimento para fazer o tão esperado exame de sangue Beta HCG que confirmaria ou não a gravidez. Eis que no décimo dia eu resolvi fazer um teste de farmácia, aquele das duas listrinhas. Eu pensava que pelo menos a segunda listrinha iria aparecer fraquinha, mas apareceria. Ledo engano, nem sinal da segunda listrinha.

Nem preciso dizer que eu quase morri!!! Desfaleci na hora, não iria suportar. Quase coloco tudo a perder com essa atitude digamos irresponsável da minha parte. Procurei ajuda, fui orientada a permanecer em atitude de fé, orar sem cessar e acreditar, naquele dia recebi uma mensagem a noite no whatsapp que falava sobre quando Deus abriu o mar. Nada era impossível para Ele. Chorei muito e adormeci.

No decimo segundo dia fui para o laboratório colher o sangue, estava tranquila, mas uma alegria inexplicável eu sentia na alma. A tarde me ligaram do laboratório informando que o resultado do exame estava pronto. Corri pra lá e abri lá mesmo, caí de joelhos emocionada agradecendo a Deus pelo milagre, meu positivo estava lá, eu estava realmente GRÁVIDA!

Hoje estou com 05 meses de gravidez e graças a Deus está tudo bem com a gente, estou tendo uma gravidez abençoada e tranquila. Entendi finalmente que tudo tinha que acontecer agora, porque não tenho mais dúvidas que Deus nos ama independente das nossas obras, do nosso caráter, do nosso merecimento, Ele é apenas amor, e tudo já foi conquistado para nós através do sacrifício de Jesus na cruz. Deus sorriu pra mim e com Ele vencemos a infertilidade!

Toda honra e glória ao Senhor!!!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *